Foi uma das melhores participações do fotógrafo que levou 1 Ouro, 12 Pratas e 11 Bronzes.

A Epson divulga resultado do concurso fotográfico Epson International Pano Awards 2014, o maior concurso destinado à fotografia panorâmica.

Fotoexplorer-Marcio-Cabral-noticia-140910-aDennis Ramos (USA), o grande vencedor na Categoria OPEN

O fotógrafo panorâmico do ano foi Dennis Ramos, USA, vencedor da Categoria OPEN Built Environment / Architecture. Sua imagem vencedora foi uma panorâmica em preto e branco da Ponte Skyway, em Saint Petersburg, Florida. Trata-se de uma longa exposição feita em um dia nublado. Com uma composição impecável, a longa exposição gerou contrastes e degrades perfeitos entre a ponte, o céu e a água. Uma verdadeira obra de arte fotográfica.

Fotoexplorer-Marcio-Cabral-noticia-140910-bBen Neale (Austrália), o grande vencedor na Categoria AMATEUR

Ben Neale, da Austrália, venceu a Categoria OPEN Nature / Landscape e foi também o grande vencedor da Categoria AMATEUR com a mesma imagem. A foto vencedora de Ben foi uma panorâmica aérea, feita a partir de um parapente motorizado. A imagem registra um bando de brolgas (aves australianas) em um lago de argila. As cores da água em contraste com as aves são impressionantes.

Fotoexplorer-Marcio-Cabral-BRA-GO-Chapada-dos-Veadeiros-001Marcio Cabral (Brasil), vice-campeão na Categoria OPEN Nature / Landscape

O fotógrafo brasileiro Marcio Cabral foi o vice-campeão da Categoria OPEN Nature / Landscape com uma panorâmica noturna da Chapada dos Veadeiros, Goiás. A imagem mostra um campo de chuveirinhos localizado nos Jardins de Maytreia, considerado o cartão postal da Chapada dos Veadeiros.

Cabral utilizou a técnica paint light para iluminar as flores do primeiro plano e esperou a hora exata em que o arco da Via Láctea contornasse o Morro do Buracão. O chuveirinho (Paepalanthus speciosus) é a planta predileta de Cabral para “astrofotografias”, pois tem o formato que lembra a explosão do big bang com pétalas brancas. E também porque suas pontas parecem estrelas e cometas.

Cabral conquista um feito inédito para o Brasil, sendo o primeiro brasileiro finalista nessa categoria, onde já concorreram os mais famosos fotógrafos de fine art do mundo como Peter Lik, Timo Lieber, Craig Bill, Rodney Loug Jr, Rafael Rojas, Paul Marcellini, entre outros.

Para ter uma ideia do alto nível da concorrência, a melhor classificação de Peter Lik foi 5º e 13º lugar em 2011. Este ano, Lik conquistou 2 bronzes e não conseguiu se classificar entre os 50 finalistas. Lik é o mais bem sucedido fotógrafo da atualidade. Suas 15 luxuosas galerias fine art nos EUA faturam anualmente em torno de 50 milhões de dólares.

Cabral ainda conseguiu emplacar mais 3 bronzes na Categoria OPEN Nature / Landscape com imagens da Patagônia, Argentina, e da Lagoa Misteriosa, em Jardim, Mato Grosso do Sul.

Categoria VR/360

A categoria VR (Virtual Reality) é considerada a “olimpíada” de imagens 360º por ser a maior competição do gênero. Os fotógrafos russos do AirPano continuam dominando a competição. Suas fantásticas imagens aéreas conquistaram novamente as primeiras posições no ranking dos top 50.

O Airpano é o maior projeto fotográfico da história. Sua equipe é formada pelos 8 maiores especialistas em fotografia panorâmica da Rússia. Este grupo possui recursos ilimitados e tem o objetivo de registrar as mais belas paisagens naturais e antrópicas do mundo em panorâmicas de alta resolução. Já percorreram dezenas de países em todos os continentes e possuem o maior acervo mundial de imagens e vídeos aéreos de alta resolução 360º.

Fotoexplorer-Marcio-Cabral-noticia-140910-cDmitiy Moiseenko (Rússia), o grande vencedor na Categoria VR/360

A primeira colocada da categoria VR foi uma imagem feita no Lago Kuril (Kurile Lake), na Península Kamchatka na Rússia, a terra dos ursos. A imagem mostra os ursos se alimentando em um “mar” de salmões. Uma captura realmente espetacular do mundo natural.

O Airpano também conquistou ouro com panoramas aéreos da grande Muralha da China, Flamingos do Lago Bogoria no Kenia, Dubai e da cidade de Petra na Jordânia.

Novos nomes surgiram este ano entre os finalistas como Lewis Whyld (Inglaterra) que conquistou 2º lugar com uma imagem de uma corrida de rua com touros na Espanha e Christoph Simon (Alemanha) que recebeu 3º lugar com uma panorâmica feita no estádio olímpico de Berlin.

Fotoexplorer-Marcio-Cabral-noticia-140910-dMarcio Cabral (Brasil), Ouro na Categoria VR/360

Marcio Cabral obteve Ouro na Categoria VR/360 classificando-se entre os top 10 finalistas com uma imagem do Fitz Roy Valley, Patagônia, ao amanhecer. Cabral é o primeiro fotógrafo a conquistar este feito por 3 anos consecutivos.

As imagens em 360º feitas este ano na Patagônia renderam a Cabral prêmios Ouro, Prata e Bronze. As imagens 360º subaquáticas da Lagoa Misteriosa e Olho D’Água (Jardim/MS), Gruta da Pratinha (Chapada Diamantina/BA) e Jardines de La Reina (Cuba) conquistaram uma Prata cada uma. Cabral foi o fotógrafo com maior quantidade de imagens finalistas na Categoria VR/360, emplacando 10 imagens entre as top 50.

Com isso, o Brasil se classifica em 2º lugar em quantidade de medalhas e top 50 finalistas, atrás apenas da Rússia que obteve 26 imagens finalistas do Airpano. Em 3º lugar ficou o Japão emplacando 4 finalistas seguido da Inglaterra e Alemanha com 3 finalistas cada uma.

Cabral obteve uma brilhante atuação este ano no Epson International Pano Awards conquistando 1 Ouro, 12 Pratas e 11 Bronzes, o que lhe rendeu um prêmio equivalente a U$ 1520.

Sobre Marcio Cabral

Marcio Cabral é, atualmente, o fotógrafo mais premiado do Brasil. Apenas nos últimos 2 anos, conquistou cinco títulos absolutos (Holanda, Espanha, Itália, Alemanha e Inglaterra), o recorde mundial com a maior imagem subaquática e vários títulos de categoria. Venceu também a categoria Outdoor Adventure no NBP Windland Smith Rice Awards, um dos principais concursos de fotografia de natureza nos Estados Unidos. Além do Royal Botanic Gardens em Kew, suas imagens premiadas participaram de exposições nos últimos anos em diversos museus e galerias na Alemanha, Espanha, Bélgica, Reino Unido, França Itália e EUA, e também em um dos maiores museus de História Natural do mundo, o Smithsonian National Museum of Natural History (Washington D.C., EUA).